sábado, 5 de maio de 2012

O Teatro Mágico, em João Pessoa


Pois é, tudo certinho: começaram a ser vendidos na Levi's do Manaíra Shopping os ingressos para o show d'O Teatro Mágico, que acontece na próxima semana  (12/05/2012) aqui em João Pessoa, no Clube Cabo Branco. Custam R$50,00 (inteira) e R$25,00 (meia)... vamos garantir acesso que o espetáculo já vai começar.


E pra festa ficar melhor, o show de abertura terá Val Donato e os cabeças... Espero que meu brotinho aqui fique bem pra que possamos curtir bastante essa festa!!! ;)

terça-feira, 1 de maio de 2012

Aprendendo na gravidez



Neste final de semana fui ao chá de fraldas de Letícia, bebê de minha amiga Vivi que está chegando. Numa das brincadeiras que fizeram com as gravidinhas de plantão descobri que sei muito menos do que imaginava sobre gestação e bebês... aliás, eu não sei quase nada! De 10 perguntinhas básicas sobre as necessidades e desenvolvimento do bebê, eu só acertei uma! E foi no chute! Então resolvi me informar... :))

Estou na 8ª semana de gestação, então segundo a figurinha acima que pesquisei e peguei emprestado :), o meu serzinho está com o coraçãozinho formado e deve começar a desenvolver a orelhinha... se eu já estava tagarelando quando era um embrião, imagine agora que realmente penso que pode me ouvir. Aprendi ainda alguns detalhes sobre cada passo de formação ao longo das semanas no site http://www.clinicafgo.com.br/gravidez_passo_a_passo.html
Segundo o mesmo, meu pequenino é do tamanho de um gomo de uva e deve se tornar um feto nas próximas semanas, de modo a atingir as medidas de uma ameixa na 12ª semana, quando, possivelmente, seremos capazes de saber o sexo. Não temos preferência! Mas já ouvi muitas apostas numa menina... um menino é também o desejo de alguns... enfim, minhas orações a Deus pedem que, independente dessa definição, seja forte e nasça com muita saúde!

Interrompi todas as minhas atividades físicas (que nem eram tantas) desde que eu soube da gravidez. Por recomendação médica, eu não podia continuar a pedalar, a sonolência e indisposição me deixou preguiçosa por fazer caminhadas. Mas encontrei algumas dicas com guias de exercícios para diferentes fases na vida da mamãe estão me tirando dessa zona de sedentarismo (http://www.clinicafgo.com.br/guias_de_exercicios.html). Após o terceiro mês, pretendo retomar algum exercício mais efetivo, talvez pilates... ainda estou avaliando.

Bom, quanto a alimentação, estou sendo super radical: tudo o que me dizem que pode fazer algum mal eu excluo, e aqueles alimentos que dizem ser rico em qualquer coisa eu dou um jeito de excluir. Nessa leva já saíram o café (ai, esse é o único que faz falta), chás, gorduras, álcool, evito refrigerante e chocolate. Inclui muitas folhas, complemento de ácido fólico, frutas e verduras de todas as cores :) e muita fibra. Eu que estava lutando com a balança há séculos já consegui perder um quilo nesses primeiros quinze dias de cuidados. Só tenho consulta marcada para a nutricionista no começo de junho, espero que ao chegar no consultório ela também tenha orgulho dos cuidados que tenho tomado... 

À medida que eu for aprendendo, vou compartilhando aqui experiências e resultados.






Descobrindo um mundo em mim...

Sou uma pessoa ansiosa por definição. Chega a ser difícil concluir idéias por tantas caraminholas reticentes. Eis o que acontece: há cerca de quinze dias me descobri grávida! Em vez de permanecer em reflexão ou em estado de mansidão, me tornei agora um turbilhão. São tantas dúvidas, tantas respostas desconcertantes, minha intuição aflorada me pede cautela, porém sigo acelerada, 'ligada na tomada' como diriam alguns.


Desde a infância tenho a ânsia pelo futuro, pelo que há de vir ou o que irá acontecer logo a seguir. Não me contento com o presente e,  nesse caso, um misto temporal de fatos da vida me assomam. O presente, nesta dádiva tão querida que Deus me concede, se apresenta como único, exclusivo, determinante de tudo o quanto posso ter nas minhas mais remotas lembranças. Por outro lado, me sinto surpreendida em concentrar nas possibilidades não mais minhas, mas deste delicado ser que me acaricia pela singela vida que se nutre em mim.


A clareza da minha razão me permitia compreender essa tênue relação de amor que há entre pais e filhos, mesmo sem ainda conhecer a perspectiva dos primeiros. Talvez num ensaio... mas não como protagonista. No entanto, eis sentimentos que estavam alheios à minha lucidez! Ainda nem se figurou por completo, tal como minha realidade poderia descrever, e este ser ainda comparado a um embrião (ou cavalo-marinho, como prefere uma amiga :)) revela o mais incompreensível e absoluto Amor que faz esse mundo em mim fazer algum sentido.


Estas divagações parecem as mais ingênuas e óbvias para qualquer mulher que um dia anseia ser mãe, e eis que há uma nova descoberta da nulidade de tudo o que imaginei saber até hoje. Resta apenas você, meu serzinho, filhinho ou filhinha, que Deus conceda uma vida saudável e justa. Amém.